domingo, 18 de abril de 2010

Under my skin(s)


"-What the fuck are you doing?
-What do you want, Sid?
-I want you to stop what you are doing, ok? Fucking around. Fucking anything that moves. Just stop, man.
-You started!
-I don't care! I don't care! You're cruel, I hate you.
-I hate you right back. Why don't you pull over to Michelle and give her one. Oh, another one!
-Give a fucking rest, ok? Is you and me, you know that! And you are being stupid.
-My time!
-You went away. Why did you go away? You know, I needed you and you pissed off. My dad said... Well, he said you're special, but you are not! You're just sluttering around like a spoiled kid.
-Michelle, Sid, Michelle.
-I don't love Michelle. I've never loved Michelle. I love you! But you... you... Oh, God. Where were you?"


(Skins 2x08)

_____________________________________________________________________________


O dizível precedeu o dito e fechei a boca antes que você abrisse os ouvidos. Nem todo acontecimento vira notícia e o meu fato lhe fugiu das mãos. Escrevi somente (em mente) e as palavras não alcançaram o papel, você não leu minha manchete. Era furo, era inédito, narrado numa firmeza enganosa. Dissequei-me para entender o incomum, adestrei meus instintos para ordenar meus pensamentos. Falhei imersa em subjetivismo.
Numa transgressão, desaprendi a falar. Numa progressão, comecei a escrever. Numa evolução, escolhi por calar.

14 comentários:

  1. pois é, não tem como seguir, pois o formato do blog não deixa (formato antigo). gosto muito da forma como escreve; isso é muito bom: 'Numa transgressão, desaprendi a falar. Numa progressão, comecei a escrever. Numa evolução, escolhi por calar.'

    ResponderExcluir
  2. Me fez calar! Caramba, gostei muito mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Pode parecer clichê, mas o texto é perfeito

    ResponderExcluir
  4. Amei, amei, ameeei! As figuras de linguagem combinaram tão harmoniosamente, ficou lindo, guria. De verdade!
    Te sigo.
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  5. As palavras sabem o que querem dizer... mas você as manipula (com assombrosa habilidade) e diz o indizível. E não é corujisse. Mamily.

    ResponderExcluir
  6. Todos os textos postados até agora são meus e, provavelmente, todos serão. Mas caso eu bote algum trecho ou citação, botarei o nome do autor. Brigada. :)

    ResponderExcluir
  7. Poxa, que lindo *-*
    hahahah gostei mesmo!
    OBRIGADA PELOS PARABÉNS.
    Obrigada obrigada obrigada =D

    ResponderExcluir
  8. nossa, coisa linda de se escrever. ;D
    a cena e o parágrafo consequente casaram perfeitamente. ahh, tu gosta de avril lavigne é? ahahahah

    ResponderExcluir
  9. Caraca, to postando aqui pq vi Skins, ali, e Sid e Cassie é o melhor casal da série (até hoje) pô queria ver no que deu os dois, wtv, e ótimo texto, parabéns.

    twitter.com/redmaster

    ResponderExcluir
  10. LINDO, LINDO Amanda!
    Me identifiquei muuuito nessa parte:

    "Dissequei-me para entender o incomum, adestrei meus instintos para ordenar meus pensamentos. Falhei imersa em subjetivismo.
    Numa transgressão, desaprendi a falar. Numa progressão, comecei a escrever. Numa evolução, escolhi por calar."

    Esse texto é, com certeza, o meu favorito!

    :*

    ResponderExcluir
  11. ual, parabéns, você fez tudo soar como uma música, bem composta e cantada. adorei adorei.
    te sigo, beijos!

    ResponderExcluir
  12. morro com essa cena de sknins *-* , mt foda teus textos :*

    ResponderExcluir