quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Everlasting love


"Oh, until the dawn it brings another day to sing about the magic that was you and me. Cause you and I both loved. What you and I spoke of and others just read of. Others only dreaming of, of the love, of the love that I loved."

[Jason Mraz]

Me diz... Me diz como explicar o que ninguém consegue entender? Eu tento falar e as palavras ficam mudas. Eu tento imaginar e os olhos ficam úmidos. Eu tento simplificar e é tudo tão complexo significativo. É que tu sempre foste o que me foge do entendimento, o que meu raciocínio não acompanha, o que me fascina e aconchega.
Minha parábola mais que oscilante. Eu sei, fugimos às regras. Não sei explicar e, ainda assim, tu sabes entender porque és o amor que quase nunca sinto e a eternidade que nunca questiono.
Por que esse amor todo assim em mim? Parece ironia, brincadeira. Parece um desafio sentir algo tão grande e saber como administrar. Eu que espalho minha felicidade por aí e não sei me encontrar em quase nenhum lugar. Eu que emudeço em silêncio e calo minhas feridas no mais fundo de cada lágrima que quase nunca cai. Choro, esperneio, grito, rebelo. Faço tudo em silêncio, é uma confusão aqui dentro, tu sabes. E sinto que ouves meu barulho, escutas minhas guerras.
E sabe o que eu começo a pensar? Que eu não sei amar. Não sei, não... Naquela minha velha mania de extremos, eu te amo além do que enxergo, escrevo, narro, até do que sinto. Não sei o que fazer com tanto-tudo e então faço essas tortuosidades, vou cometendo uns erros vazios. Fico assim: como uma criança perdida em loja de departamento entre tantos setores distintos, é tanta cor! Me perco entre cabides, placas, luzes, mas não demoro, me encontro. Volto. Volto pra ti porque encontro minha casa, onde tá meu coração. Pelos dias em que eu fui por tempo demais e o medo te tomou, peço desculpas. As crianças gostam mesmo de correr por aí, soltas demais, mas cansam. Cansam sempre e é necessário ter uma casa para qual retornar.
Se fico parada diante das nossas mudanças é pela tranquilidade que nossa certeza me dá, por ter paciência e saber esperar os meus, teus, nossos momentos nos tempos em que eles vêm sempre. Adquiri a calma necessária e só quero te ver feliz, nos ver feliz, no caminho que for e eles se entrelaçam sempre que eu sei.

33 comentários:

  1. teus textos causam em mim um vício. que texto lindo! sério mesmo, que bom saber controlar o incontrolável. espero que você receba ajuda com isso. =) adorei, beijos

    ResponderExcluir
  2. O incrível é que não dar para aplicar o amor a uma fórmula certa, a regras prescritas anteriormente. É como já diz um ditado que virou clichê: "o amor é pra ser sentido, não entendido".
    Ele foge mesmo à compreensão humana e é arredio, fugaz, mas belíssimo.
    Adorei o espaço! Bjs.
    Estou seguindo.

    ResponderExcluir
  3. Essa certeza silenciosa é o que nos move com tranquilidade, ao amor. Sabe que, comecei a pensar, que esse meu jeito meio urgente e confuso, era então paixão? Lindo, flor!
    Beijoca

    ResponderExcluir
  4. O que foge a regra marca, atrai...
    adoreei:***

    ResponderExcluir
  5. oooi,por favor,escreve um texto sobre uma mulher que ama o seu ex,mais ele nao liga mais pra ela..
    eu preciso ler isso,porque seus textos tocam o fundo da minha alma

    ResponderExcluir
  6. Esperar cansa que é uma beleza..
    Menina de cara quando eu li o .. inicio veio a musica na minha cabeça, dps que fui ver que realmente era a música
    :)

    ResponderExcluir
  7. Quando o destino une duas almas por mais de uma vez, é porque guarda algo reservado para ambas.

    ResponderExcluir
  8. Desculpa *-*

    Eu fiz outro blog porque aquele outro tava dando muito problema !

    http://lemdamaris.blogspot.com

    espero que vs de uma passsada lá!
    fooi mals pelo spam !

    beijinhos

    ResponderExcluir
  9. E que se vá, mas que se volte logo, pra não deixar esfriar o lugar no colo...
    Beijo, linto texto.

    ResponderExcluir
  10. Mandita, me permita porque sinto que vou escrever um comentário grande...rs.
    Li o trecho da musica, achei lindo e procurei pra ouvir..."Others only read of the love
    Oh the love that I love".
    Menina parece que você escreveu meus sentimentos. Li ouvindo a música e meus olhos encheram de lágrimas. Voltei há tres anos atrás quando eu tinha (tenho, sei la) um grande amor. Eu era assim também, calada e serena por fora, mas por dentro era uma algazarra tão grande que eu tinha que descarregar tudo no travesseiro. Mas ai o tempo passou e eu fui aprendendo a fazer as pessoas saberem o que eu sinto através de palavras. Não são todas as pessoas que conseguem apenas nos entender no silencio. Eu encontrei uma que conseguia sentir e viver meu amor no silêncio, mas bem, eu escolhi também visitar outros setores e meu coração insistia em voltar pra casa. Mas haviam muitas mudanças que precisavam ser feitas e então, eu também aprendi a esperar o tempo certo para que a casa estivesse pronta para receber meu coração. Percebi que o tempo passou demais e eu não me vejo mais naquele lugar. Embora os caminhos insistam em se cruzar...
    Uffa, terminei.
    Obrigada pelo texto, achei divino!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. [Eu que espalho minha felicidade por aí e não sei me encontrar em quase nenhum lugar]

    Essa sua frase me definiu. Completamente.
    E este teu texto, como todos os outros, está magnificamente perfeito!

    beijos!

    ResponderExcluir
  12. "É que tu sempre foste o que me foge do entendimento, o que meu raciocínio não acompanha, o que me fascina e aconchega. "
    Eu gostaria de saber controlar o incontrolavel!
    E não pense que não sabe amar, todo mundo sabe amar, a diferença é que cada um ama a sua maneira!

    Lindo texto, amei!


    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Me vi nesse trecho:
    ''Por que esse amor todo assim em mim? Parece ironia, brincadeira. Parece um desafio sentir algo tão grande e saber como administrar. Eu que espalho minha felicidade por aí e não sei me encontrar em quase nenhum lugar. Eu que emudeço em silêncio e calo minhas feridas no mais fundo de cada lágrima que quase nunca cai. Choro, esperneio, grito, rebelo. Faço tudo em silêncio, é uma confusão aqui dentro, tu sabes. E sinto que ouves meu barulho, escutas minhas guerras. ''
    É complicado mesmo. O amor é o sentimento mais irônico que eu conheço, sinceramente. É um belo que nos traz tantas vezes tristeza, confusão...Mas mesmo assim, acho que amar, independente da forma, sempre vale à pena.
    Beijos, minha flor! Texto perfeito!

    ResponderExcluir
  14. Di, ouço teu silêncio dizer que a mim sabes amar om maestria, sendo assim sinto-me privilegiada. Quanto ao meu amor por ti.. bem, esse é confessado, declarado, escancarado, aberto. EEEEEUUUUU TTTTEEEEE AAAAAAAAAMMMMMMMMOOOOOOOOO!

    ResponderExcluir
  15. Nossa ! Esse coom certeza é o teu melhor texto... amei !! É de uma profundidade e sensibilidade incrível ! =** Thaís.

    ResponderExcluir
  16. Isso tudo o que você descreve, me parece amor. :)
    Lindo.

    ResponderExcluir
  17. Ah, o amor... Algo tão simples e complexo...
    Não tenho o que dizer... Adorei o texto!

    Lindo!

    ResponderExcluir
  18. ai é o amoor , ai ai é o amor (8)
    kkk , pelas palavraaas

    ResponderExcluir
  19. Ahh ki lindo *---*

    O amor é um sentimento tão simples q ao mesmo tempo é tão complicado :s

    Estou t convidando a conhecer o meu blog tbm, vou visitar o seu tbm. Abraços

    ResponderExcluir
  20. nossa que forte o que vc escreveu
    lindo o texto
    :*

    beijos

    ResponderExcluir
  21. Essa bagunça,confusão dentro de nos,atorda.
    Queremos tudo e nada.e amar em demaseio faz mal,como não amar !

    ResponderExcluir
  22. Ah, mas suas palavras ganham um ritmo melódico e rápido, quando vi acabou. Encontrei-me nos teus versos e fique só no "querendo". Porque no amor se encontra e se perde... E nessa desordem se preenche, se sente e se faz amor!

    Beijos
    :*

    ResponderExcluir
  23. Gostei muito de tudo que vi por aqui!
    Seu blog é lindo! Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Perfeiiição de blog.
    DEpois da uma passadinha no meu.
    bjs. Bom FDS.

    ResponderExcluir
  25. o silêncio ás vezes me diz muita coisa.
    sempre procuro nele, a resposta de tudo!
    Infelizmente só não acho respostas para o amor.
    =/
    beijo grande!
    lindo o blog. ♥

    ResponderExcluir
  26. A musica que você mencionou do Jason M. é a minha preferida, pq me conta uma história que vivi. Lendo seu texto encontrei uma paz incrivel. E estou nessa fase da calma necessária sabe??
    É um alivio levar a vida dessa forma.

    beeijoo

    ResponderExcluir
  27. Amei o blog.

    É bom visitar paginas novas para mim.
    grande beijo e sucesso com o blog.

    ResponderExcluir
  28. Sabe, sabe sim amar, todos nós sabemos. Mas é assim, às vezes a gente faz coisas que não tem como explicar, somos apenas nós, a essência e pronto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Nossa, amei isso aqui...
    Os textos, as fotos... *-*
    Parabéns pelo seu canto. ;*

    ResponderExcluir
  30. 'Fugimos as regras'. Sempre.
    Amei o post e você escreve muito!
    Seguindo o seu blog, beijão :*

    ResponderExcluir
  31. Amor imperecível. É isso que leio aqui.
    Nunca tinha visto tantos comentários, acho que esse é o seu texto misericordioso e original.
    Achou a química e só me resta aplaudir isso.

    ResponderExcluir
  32. A chata dando puxão de orelha: Amanda, posta coisa nova! A gente precisa te ler! rsrs beijos!

    ResponderExcluir